10
Fev 10

 

 

A actual situação de pouca adesão dos empresários aos incentivos previstos na Lei do Mecenato, deriva da «conjuntura económica e à mentalidade dos empresários», como é retratada num artigo do DN da Madeira.

A JSD Madeira já em Maio de 2008, apresentou um projecto de proposta de Lei para a alteração do Estatuto dos Benefícios Fiscais no que concerne ao Mecenato, prevendo uma maior atenção às empresas da RAM, na sua grande maioria pequenas e médias empresas.

Propondo assim a majoração em 15% para os donativos que sejam concedidos na Região Autónoma da Madeira e que 8/1000 seja considerado o limite máximo de volume de vendas ou de serviço prestados na R.A.M.

Estas medidas iriam permitir que as empresas deixassem de ver esses apoios não apenas como um custo mas como um investimento atractivo com retorno económico e social, aumentando o sentido de responsabilidade social das empresas regionais.

A JSD Madeira considera o Mecenato como uma vertente de desenvolvimento da nossa sociedade, devendo o mesmo ser incentivado a todos os níveis.
publicado por JSDMADEIRA às 10:03

comentário:
Felizmente há algumas empresas na nossa Região que já encaram a responsabilidade social/corporativa como parte da sua política empresarial. Ajudar não custa e até traz beneficios que não estão directamente relacionados com o retorno financeiro mas há que apelar ainda a muitos empresários para este facto e sensibilizá-los a contribuir cada vez mais por causas e pela sociedade em que estão inseridos.
Paula A. a 17 de Fevereiro de 2010 às 14:56

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
24
25
26
27

28


pesquisar neste blog
 
Nota:
A JSD Madeira disponibiliza a funcionalidade de comentário no blog www.juntosporideais.com um espaço livre e aberto à participação de todos os visitantes, para que possam dar contributos, opinião e informação sobre as temáticas colocadas à reflexão.

A JSD Madeira edita os comentários recebidos, respeitando o seu conteúdo, seleccionando-os segundo os critérios - actualidade e interesse. Contudo reserva-se no direito de publicar ou não os comentários que incluam opiniões ofensivas da dignidade e integridade moral de terceiros ou que incluam linguagem obscena.